quarta-feira, 12 de outubro de 2016

DICA: CINCO ISCAS (DE FLY) FÁCEIS E EFICIENTES PARA QUEM ESTÁ COMEÇANDO NO ATADO




Para quem está iniciando no atado, às vezes é difícil saber por onde começar. São tantas iscas, tantos materiais...
Para facilitar a sua vida, segue abaixo uma listinha (minha opinião) com cinco iscas básicas e relativamente fáceis de atar que não podem faltar na sua fly box:

1 – Ração artificial: é a cachaça do povo, a alegria no pesqueiro. Podem ser feitas de várias maneiras, com vários materiais, como EVA, cortiça e deer hair. São muito fáceis de atar, então nem compensa colocar receita aqui. O importante é que se pareça com uma ração, podendo flutuar ou afundar, dependendo que que se quer. 

2 – Woolly bugger: a isca que pega quase tudo, de pacu a truta. Dificuldade nível médio. O que usa: chennille, marabou, uma pena (saddle), fio de chumbo para lastro, bead head (opcional) e um pedaço de arame ou de monofilamento. Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=SaaXrUJl9zc

3 – Clouser minnow: streamer bem eficiente para praticamente qualquer predador, trabalha mais no fundo e com a ponta do anzol virada para cima, evitando enroscos. É fácil de atar, mas é preciso ficar atento para não exagerar no material. O que usa: na receita tradicional vai bucktail (duas cores), brilho e olhos de halteres. Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=k0gX83J1Kvg
 
4 – Lefty deceiver:  streamer também muito eficiente, mais fácil de arremessar que a clouser, por ser mais leve. Dificuldade nível médio. O que usa: quatro penas (saddles), brilho, bucktail, fibras de penas de pavão (opcional), olhos (opcional). Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=Efo7gblZj0s

5 – Chernobyl ant e terrestrials em geral: imitam um inseto na superfície. Eficiente em pesqueiros, principalmente nos meses de calor. Fácil de atar. O que usa: na receita mais básica vai tias de EVA e pernas de borracha. Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=-GaOWLOM9rE

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

PESCARIA - TRAÍRA NO FLY



Um caso inusitado. Estávamos pescando tabaranas nas corredeiras do rio Sapucaí. Arremessei meu andino junto à margem oposta, na entrada de um remanso, mas a linha embolou na carretilha no final do arremesso. Enquanto eu tentava desfazer aquela maçaroca, a correnteza arrastou a linha e a mosca foi derivando rio abaixo.
Assim que comecei a recolher a linha, senti o tranco, depois uma bela briga. Será uma tabarana? Dourado? De repente o bicho pula... uma bela e gorda traíra!!
Traíra na corredeira não é comum. Muito menos saltar daquele jeito.
Tabarana mesmo, quase não vi nesse dia.
Coisas de pescaria. Sempre imprevisível.
Pena que o imbecil aqui esqueceu o alicate de contenção. Teria dado uma bela foto!

fly
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...