segunda-feira, 18 de junho de 2018

TESTE - CHUMBINHOS RIFLE E GAMO


Testei na Cometinha 220 algumas munições que comprei recentemente na Dispropil (exceção do Rifle Field Dome, que eu já tinha). Também foi a primeira vez que usei a Luneta Gamo 4x32 nessa carabina.
O pior resultado foi com o Gamo Pro Hunter. Gostei muito do Rifle Premium Round, mas o melhor mesmo foi o Rifle Field Destroyer.
Acho a Rifle a melhor marca nacional de Chumbinhos. Mesmo o STR, o mais barato, é muito bom pelo que custa.
Os tiros foram feitos a 20 metros, com apoio.

chumbinhos rifle


terça-feira, 29 de maio de 2018

PRIMEIRO SEMESTRE DE 2018 = DESÂNIMO


 O primeiro semestre de 2018 já foi e desde o final do ano passado não peguei um peixe sequer. Graças à degradação ambiental e a matança promovida pelos pescadores “mortos de fome” de sempre, as opções na região são escassas. Não há um pesqueiro decente por aqui e o tabaranódromo (foto), que eu achei que era infalível, nos deu um banho de água fria esse ano.
Acho que nem me lembro de qual foi a última vez que fiquei tanto tempo sem engatar um peixe na linha.
Somando isso com meu ressuscitado gosto pelo tiro com ar comprimido, bateu um grande desânimo pela pesca, tipo “quero vender todessaporra e comprar armas”.
Não é de hoje que venho me desiludindo com a pesca em geral.
E o fly fishing, na realidade, é o ápice da frescura na pescaria: é caro, cheio de nove horas, difícil de dominar e não é em qualquer lugar que dá para usar – mas depois que você pega o gosto, não tem volta...
Acho que, em todos esses anos de pescarias, colecionei mais decepções do que alegrias, infelizmente.
E boas pescarias estão cada vez mais distantes e mais caras, e, sinceramente, não acho justo gastar mais com pescarias do que com viagens com minha família.
Espero mesmo que isso seja só uma fase, é triste perder o interesse por algo que antes me encantava tanto, que exigiu tanta dedicação e alimentou meus sonhos.
Se não for uma fase, acho que, em breve, estarei anunciando meus estimados equipamentos, a preços de ocasião!

segunda-feira, 23 de abril de 2018

CANETA PRESTO BLUE GUN

Quando troquei o muzzle da Cometa 220, notei um risco na oxidação, em volta do cano. Não sei se o risco foi feito na instalação do muzzle original ou quando eu retirei ele, mas era algo que me incomodava.
Pesquisando sobre formas de retocar a oxidação, descobri essa caneta Presto Blue Gun, que tem exatamente essa função. Ela basicamente usa um ácido que vai produzir uma oxidação a frio no metal, no local do reparo.
Limpei bem o local, apliquei o ácido com a caneta em cima do risco, com bastante cuidado, depois limpei e passei um bombril com óleo. Repeti esse processo por três vezes.
O resultado não ficou perfeito, mas melhorou muito o risco, acho que uns 82%.
Para mim, valeu a pena.
 

terça-feira, 17 de abril de 2018

MUZZLE BREAK QUICK SHOT


Não gostava do muzzle break original que veio na Cometa 220 e resolvi tirar. Além de ser feio, a massa de mira atrapalhava a visada com a luneta. Mas aí não gostei de como a carabina ficou sem, então comprei um muzzle da Quick Shot.
Esse muzzle serve para carabinas com cano de 15mm de diâmetro, e, como o cano da Cometa tem um pouco menos que isso, precisei usar algumas voltas de fita isolante para ficar bem centralizado. Depois, bastou apertar os parafusos.
Gostei bastante do resultado, achei que ficou melhor do que o original.
muzzle quick shot
muzzle quick shot
muzzle quick shot
muzzle quick shot
muzzle quick