domingo, 19 de junho de 2011

PENSANDO NESSE TAL DE FLY


Ultimamente tenho pensado novamente nessa modalidade de pesca diferente, na qual se usam aqueles caniços longos, ligas grossas e carretilha engraçada.
Novamente porque, desde que assisti aos primeiros programas do pesca e companhia, com Rubinho, sonho em iniciar no fly fishing, ou pesca com mosca. E quase já entrei nesse barco por várias vezes, mas acabei desistindo, ou por causa do custo do equipamento, ou por causa da dificuldade da técnica, ou simplesmente por medo de ficar viciado nisso e querer entrar de cabeça nisso!!
Mas o que é fly fishing afinal? Bom, pelo pouco que sei (corrijam, se estiver errado) essa modalidade nasceu no hemisfério norte, para a pesca de trutas naqueles riachos paradisíacos. A diferença básica entre o fly fishing e o “baicasting” é que neste último se arremessa a isca, enquanto no “fly” o que se arremessa é a linha, já que a isca, por si, quase não tem peso, sendo que todo o equipamento é projetado para este fim.
 E esse é justamente um dos pontos que faz da pesca com mosca interessante, já que, por ser muito leve, a isca pode ter uma apresentação bem natural e delicada, passando-se perfeitamente pelo alimento dos peixes que buscamos.
Mas não é só isso, há toda uma filosofia e uma técnica própria por trás do “fly”, o que pra mim é muito bacana. Sei lá, vendo aqueles caras arremessando aquela linha ao ar, normalmente sozinhos com a natureza, com o pé na água, me passa uma sensação de.... paz.
Enfim, como eu disse tenho pensado nisso novamente, e nos motivos que já me fizeram desistir antes, chegando a algumas conclusões:
  • Custo alto: isso é uma meia verdade, hoje em dia com um investimento de uns R$ 500,00, dá montar um conjunto bem razoável, o que é mais ou menos o custo de um conjunto de carretilha (não me parece um preço muito alto pela realização de um sonho!!);
  • Dificuldade da técnica: bem, o fly fishing é realmente complexo, mas pelo que andei lendo em blogs de mosqueiros, o importante é começar, aprendendo o “b-a-ba” e se aprofundando conforme a necessidade. Fazer um curso de arremesso é aconselhável, mas não acho que seja obrigatório, principalmente por que há muita informação disponível na internet, principalmente sobre o que NÃO se deve fazer;
  • Medo de viciar: não é um medo de gostar apenas, mas o temor de só querer pescar com “fly” e largar o resto, o que não é algo incomum. Mas não acho que seria assim, adoro minhas “tralhas” e sou apaixonado pelas carretilhas, de modo que o flyfishing seria apenas mais uma de minhas manias.
 Pensando bem, acho que não há motivos que justifiquem ficar adiando esse sonho por mais tempo. Acho que agora vai!!!!

Um comentário: