quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

PESCARIA DE VADEIO (OU VADEO?)



A pescaria de vadeio é minha preferida, pela autonomia que ela dá, pelo contato com a natureza, a emoção da briga com o peixe, etc. Pena que nem todo local que se presta a esse tipo de pescaria, principalmente com equipamento de fly, que exige um certo espaço para executar os arremessos. Por isso os melhores rios para vadear (no fly) são aqueles com leito de pedra, não muito fundos e com mata ciliar não muito fechada. Além disso, é importante utilizar o equipamento adequado, seja por conforto, seja por segurança. Resolvi listar alguns deles (lembrando, mais uma vez, que essas são apenas as impressões pessoais de um mosqueiro pouco experiente e meio sem-noção, sem a pretensão de aprofundar o assunto):
wader
WADER: acho que pescaria no Brasil normalmente não exige o uso desse macacão impermeável, a não ser para a pesca de trutas. Isso porque, se a água não está muito fria, ele não é necessário (e nem desejável, porque esquenta pra cacete), e, se está muito fria, os peixes não estão nem aí (fora a truta). Nas minhas pescarias de tabaranas tenho usado raramente, somente naqueles poucos dias em que água já está meio gelada e o peixe ainda está ativo.
wading bootsBOTAS: As botas específicas para esse tipo de pescaria (wading boots) são necessárias principalmente para rios com fundo de pedras, cheias de lodo. Nesse tipo de leito, pode ser complicado parar em pé com um calçado normal. O problema é que as wading boots são importadas, caras e nem sempre duram muito. Aqui falei do modelo que comprei, a Palix River da Redington. Uma saída mais barata pode ser colar um pedaço de feltro grosso ou carpete no solado de uma bota normal, muita gente faz isso. É interessante também que sejam botas, de cano alto e firme, o que ajuda a evitar a torção de tornozelo durante a caminhada.
BERMUDA E MEIAS DE NEOPRENE: em dias em que a água está um pouco mais fria, uma bermuda de neoprene por baixo da calça quebra bastante o galho no wet wading, mantendo o corpo aquecido onde interessa (exatamente onde você está pensando). Já as meias eu uso sempre, inclusive para que as botas de vadeio não fiquem largas demais no meu pé (elas têm o tamanho próprio para usar com o wader, que já tem meias de neoprene bem grossas acopladas).
BASTÃO AUXILIAR: também conhecido como Wading staff. Sempre achei que esse item fosse frescura, mas não é. Faz muita diferença principalmente quando se está caminhando em uma parte mais profunda do rio, onde você não enxerga onde está pisando, ou em pontos de corredeira muito forte. Na falta de um bastão próprio para fly, comprei um bastão de caminhada normal, retrátil, que custa por volta de R$ 100,00. Vale cada centavo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário